Usuário Senha          Recuperar Senha
                                                                                    

 

Identidade, território e participação: um estudo psicossocial sobre a   experiência de turismo de base comunitária no quilombo Ivaporunduva,   Vale do Ribeira/SP.

Orientador: Gustavo Martineli Massola
Supervisor: Alessandra Blengini Mastrocinque Martins

Resumo

Este projeto de pesquisa é um subprojeto de um estudo proposto pela Etec de Iguape em parceria com o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo denominado EXPERIÊNCIAS DE TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA NO VALE DO RIBEIRA, SÃO PAULO, BRASIL no âmbito do Programa de Pré-Iniciação Científica da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo. Tem como objeto de investigação a experiência de turismo protagonizada por quilombolas na comunidade de Ivaporunduva, na região do Vale do Ribeira, Estado de São Paulo, no que refere-se, principalmente,  a contribuição desta experiência para o fortalecimento da identidade local,  envolvimento e articulação dos comunitários, bem como para a organização e estruturação do território. 
Para tanto será formada uma equipe de 10 pessoas, sendo um professor doutor do Instituto de Psicologia da USP que será o orientador da pesquisa e um professor da Etec que ficará responsável pela supervisão das atividades de pesquisa realizadas por 8 alunos bolsistas.
O estudo, com previsão de duração de 12 meses, inclui pesquisas bibliográficas e atividades de campo, como visitas à comunidade para observação e entrevistas e ao campus da Cidade Universitária, participação do supervisor e alunos em cursos voltados à pesquisa científica, bem como apresentação dos resultados para a comunidade envolvida e demais alunos da Etec de Iguape.
Objetivos
•             Colaborar para a descrição da experiência de turismo de base comunitária na comunidade quilombola do Ivaporunduva, Vale do Ribeira/SP, tendo como foco a valorização e formação da identidade e as formas de participação e organização do território;
•             Investigar se a experiência de turismo realizada nesta comunidade tem como efeito o enraizamento de processos sociais, considerando a participação comunitária, a identidade cultural, bem como o sentimento de pertencimento a um território;
•             Promover a qualificação em atividades de pesquisa para professores e jovens do ensino médio profissionalizante.

Justificativa
Esta pesquisa faz parte de um projeto mais amplo denominado EXPERIÊNCIAS DE TURISMO DE BASE COMUNITÁRIA NO VALE DO RIBEIRA, SÃO PAULO, BRASIL, que será realizado no âmbito do Programa de Pré-Iniciação Científica da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), por meio de parceria entre o Departamento de Psicologia Social e do Trabalho do Instituto de Psicologia da USP e a Escola Técnica Engenheiro Narciso de Medeiros (Etec/Iguape) do Centro Paula Souza.  As instituições parceiras já trabalharam juntas no projeto “Promoção de Direitos de Crianças e Jovens em Comunidades Turísticas”, realizado entre 2008 e 2009 com apoio do Ministério do Turismo e de diversas organizações da sociedade civil e do poder público. O projeto viabilizou a publicação do livro “Promovendo os direitos de mulheres, crianças e jovens de comunidades anfitriãs de turismo do Vale do Ribeira”, organizado por Martins, Santos e Paiva (2009), que visa subsidiar iniciativas de promoção e proteção dos direitos articuladas com a prevenção às DST/Aids e ao uso abusivo de álcool e outras drogas nas comunidades anfitriãs de turismo.
O Programa de Pré-Iniciação Científica visa apoiar projetos de pesquisa desenvolvidos nas diferentes unidades da USP, em parceria com escolas da rede pública de ensino médio e técnico, que possibilitem despertar o interesse de alunos pela atividade de pesquisa científica nos diferentes campos do saber, auxiliar a definição das áreas de interesse profissional dos mesmos e aproximar a Universidade do Sistema de Ensino Médio e Técnico. O trabalho é realizado mediante o oferecimento de formação complementar ao aluno e execução de atividades sistemáticas e rotineiras em locais que busquem a disseminação e desenvolvimento de conhecimento, incentivando, desta forma, o desenvolvimento  do espírito crítico e o amadurecimento do trato com diferentes metodologias adotadas em pesquisa científica.
A comunidade de Ivaporunduva é um remanescente de quilombo localizado no município de Eldorado, região do Vale do Ribeira, Estado de São Paulo. Atualmente, 85 famílias - em torno de 320 pessoas – vivem na comunidade, organizadas através da Associação Quilombo de Ivaporunduva. Entre as atividades econômicas desenvolvidas na comunidade encontra-se o ecoetnoturismo, ou seja, o turismo voltado para o conhecimento do modo de vida das comunidades tradicionais, aliado a conservação da natureza. Destaca-se o atendimento de grupos de visitantes, principalmente escolas, para os quais são apresentadas palestras sobre temas específicos como a história e modo de vida dos quilombos e os conflitos socioambientais na região. Também são oferecidos serviços de alimentação, hospedagem, comercialização de artesanatos, passeios, oficinas e jogos . Com experiência de aproximadamente 06 anos, o turismo é tratado como atividade de renda complementar da comunidade e a gestão da atividade realizada de forma coletiva.
Cabe destacar que o  turismo de base comunitária não se restringe a uma simples estratégia de sobrevivência econômica desenvolvida pelos moradores de uma região. As motivações para sua formação abrangem e excedem as preocupações econômicas, envolvendo necessidades sociais das comunidades como impedir que o território seja incorporado à lógica perversa do grande mercado de diversão, resistindo às formas comuns de organização do trabalho na área do turismo.
Desta forma, esta pesquisa se justifica pela  necessidade de se conhecer como a atividade de Turismo de Base Comunitária desenvolvida no Ivaporunduva vem colaborando para o fortalecimento da identidade coletiva, o fomento à participação e integração do território, uma vez que o turismo tem como principal objeto de consumo o território, assim, compreender como a comunidade local transforma ou não o território para incorporar o turismo, cria e organiza seus atrativos, utiliza-se do espaço turístico de forma participativa e considera os aspectos relacionados à sustentabilidade ambiental, apresenta-se como uma temática fundamental para compreensão da complexidade do turismo de base comunitária.
Além disso, existe o interesse em aprofundar o estudo do tema “Turismo de Base Comunitária” no Curso de Turismo Receptivo - já que o mesmo é o único curso de turismo da região -  oferecido na Escola Técnica Eng° Agr° Narciso de Medeiros (Iguape/SP), uma vez que a realidade do público atendido na Etec é de comunidades rurais, de baixa renda,  com a presença marcante de unidades de conservação,  nas quais encontram-se atrativos e recursos turísticos significativos como praias, cachoeiras, manguezais, cavernas, patrimônio histórico e arqueológico, além da cultura local, portanto áreas com grande potencial para a implantação de um turismo que possibilite a conservação dos recursos naturais aliada a inclusão social e que promova o desenvolvimento local.
Metodologia
Será realizado um estudo descritivo do tipo qualitativo, planejado em duas etapas, com duração total de 12 meses. A primeira etapa prevê um levantamento documental e bibliográfico sobre a comunidade de Ivaporunduva e os temas Identidade, Território, Participação, Organização Comunitária, Vale do Ribeira e Turismo de Base Comunitária. Nesta pesquisa documentos são todos os materiais que possam ser usados como fonte de informação sobre a comunidade como, por exemplo, cartas, memorandos, autobiografias, jornais, revistas, discursos, roteiros de programas de rádio e televisão, catálogos, estatísticas e arquivos. O levantamento bibliográfico, por sua vez, priorizará a consulta ao acervo das bibliotecas do município de Eldorado e consulta as bases de dados de bibliotecas da USP e da PUC/SP e as bases de dados que reúnem periódicos científicos como Scielo e Lilacs. A análise dos documentos e da bibliografia selecionada incluirá a realização de catalogação e elaboração de resumos e resenhas.
Na segunda etapa da pesquisa será realizada observação de campo na comunidade e entrevistas a fim de se levantar informações in loco sobre a gestão comunitária do turismo, o funcionamento da associação local, as formas de organização do território, os espaços e fóruns de participação da comunidade, as relações de parcerias públicas e privadas relacionadas ao turismo, bem como os fatores internos e externos que influenciam na ocorrência da atividade turística de forma satisfatória ou não na comunidade. Por meio das entrevistas será possível verificar se e em que medida as experiências de turismo de base comunitária envolvem e sustentam processos de enraizamento, mostrando se o desenvolvimento desta atividade econômica estimula ou não a organização de ações e projetos comprometidos com a preservação da cultura local e a formação de uma identidade engajada politicamente na construção de um turismo sustentável.
Quadro 1- Proposta de número de entrevistas a serem realizadas na comunidade:


N° de lideranças

N°  de moradores

N° de monitores e guias

02

30

6

Esta pesquisa contará com o apoio da Pró-Reitoria de Pesquisa da USP no que refere-se à concessão de bolsas de estudos de pré-iniciação científica que serão distribuídas entre 8 alunos dos cursos técnicos de turismo receptivo, meio ambiente, administração e informática.
A parceria entre o Departamento de Psicologia Social e a Escola Técnica refere-se também à disponibilização da infraestrutura para realização do projeto que inclui: espaço físico e equipamentos de multimídia para reuniões, encontros e supervisões.
A orientação do projeto de pesquisa ficará a cargo de um professor doutor da área de psicologia da USP e caberá a  professora Alessandra a supervisão das atividades dos alunos bolsistas da Escola Técnica. A supervisora também será responsável pela seleção dos alunos bolsistas, entre aqueles candidatos que apresentem boas notas, interesse por pesquisa e tenham vontade de realizar seu Trabalho de Conclusão do Curso (TCC) vinculado ao projeto, bem como acompanhar o desenvolvimento das pesquisas de pré-iniciação científica dos alunos sob sua supervisão por meio de reuniões semanais; mediar à relação entre a Comissão de Pesquisa do IP/USP e os alunos sob sua supervisão;  participar dos encontros de orientação, supervisão e treinamento com o orientador da USP; participar das visitas monitoradas ao Instituto de Psicologia e ao Campus da Cidade Universitária;  participar das visitas monitoradas ao quilombo Ivaporunduva;  orientar as atividades de transferência de experiências dos alunos do programa para a Etec/Iguape e redigir relatório circunstanciado sobre as atividades realizadas e resultados obtidos com o programa.
Os alunos bolsistas, que dedicarão 8 horas de trabalho semanais à pesquisa, participarão de todas as etapas do projeto por meio de atividades como: a catalogação de documentos sobre as comunidades; o levantamento e a produção de resumos de livros e artigos sobre os temas de interesse do projeto; a realização de observação de campo e entrevistas com lideranças e moradores das comunidades, monitores ambientais e guias de turismo, a sistematização das recomendações e lições aprendidas com a experiência de turismo de base comunitária investigada e apresentação das mesmas para a comunidade de Ivaporunduva e alunos da Etec.

 

    • Blog
    •  

    •  

  • Item 5